Diante do alvoroço causado pela informação do Governo do Estado que pretende utilizar o lote de vacinas da Janssen para vacinar trabalhadores de carga pesada, a Secretaria Municipal de Saúde pede paciência aos motoristas, pois ainda não há informações de quantas doses e de quando elas serão entregues no Paraná.

Grasieli Pedrussi, coordenadora de Epidemiologia de Dois Vizinhos, fez algumas recomendações para este grupo. “A secretaria de saúde recebeu uma mensagem, ontem à noite, da 8ª Regional de Saúde que o próximo grupo inserido na vacinação, com as vacinas da Janssen (nós não temos ainda essa vacina no município), serão os caminhoneiros e os motoristas do transporte coletivo. Não há uma previsão de chegada para essa vacina em Dois Vizinhos. No final de semana, o município vai receber novas doses, então, se o grupo contemplado for os caminhoneiros, motoristas do transporte coletivo, estaremos comunicando nas mídias para que todos possam tomar a vacina. Como não temos previsão e precisamos dar um intervalo de 14 dias entre a vacina da Covid e da Influenza, a gente pede que os motoristas não tomem, nessa semana, a vacina da Influenza porque, caso a gente receba as doses no final de semana, eles estarão aptos a fazer. Vale ressaltar, porém, que não temos certeza de quando chegam essa vacinas, se chegam neste final de semana para esse grupo ou não”, disse.

 

A VACINA

AEN - Na quarta (09), o Estado informou que as vacinas da farmacêutica Johnson & Johnson serão utilizadas em profissionais do transporte coletivo rodoviário de passageiros; do transporte ferroviário; do transporte aquaviários; e caminhoneiros. De acordo com o Plano Estadual de Vacinação, esse grupo é formado por 178,6 mil pessoas.

A estimativa do Ministério da Saúde é que as doses cheguem ao Estado até esta sexta-feira (11). Ainda não há um quantitativo definido, mas a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) trabalha com a perspectiva de 150 mil doses, seguindo o cronograma estabelecido pelo governo federal ao longo do ano.

Os imunizantes integram o primeiro lote com 3 milhões de doses disponibilizado ao País pela farmacêutica norte-americana e têm prazo de validade até 27 de junho, por isso a necessidade de distribuição e aplicação rápidas. A entrega da remessa foi antecipada pelo fabricante para atender um pedido emergencial do Ministério da Saúde.

No total, o Brasil firmou acordo com a Janssen para receber de 38 milhões de doses, com envios previstos para o 3º e 4º trimestres. Diferentemente de outros laboratórios, contudo, para garantir a imunização completa a vacina requer a aplicação de apenas uma dose – os outros três imunizantes contra o coronavírus aplicados atualmente no País (Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac) requerem duas doses.

A vacina fabricada pela Johnson & Johnson tem eficácia de 85% na prevenção de casos graves e oferece proteção completa contra hospitalização e morte por Covid-19, segundo estudo divulgado em janeiro. A temperatura de armazenamento e o transporte dos imunizantes não oferecem desafios à logística, já que podem ser preservados em geladeiras comuns, entre 2ºC e 8ºC, por até três meses.

 

Fonte: Portal Educadora com AEN.

Últimas Notícias