Nos últimos meses, o jornalismo da Rádio Educadora tem recebido dezenas de reclamações referente a dificuldade para se conseguir perícias no INSS. Um dos problemas é que a unidade de Dois Vizinhos não conta com perito e, por isso, é necessário se deslocar para Pato Branco ou Francisco Beltrão e muitos tem perdido a viagem.

Em participação no Programa Sete e Meia desta quarta-feira, 22, o deputado federal Vermelho (PL) trouxe que essa demanda, em breve, vai ser suprida com os serviços de tele perícia. “Conversamos com o Ônyx Lorenzoni, que foi Ministro do Trabalho e conseguimos uma audiência com o atual Ministro de Trabalho e da Previdência Social, José Carlos de Oliveira, referente a dificuldade da perícia das pessoas que dependem do subsídio de aposentadoria por idade, por invalidez. Temos dificuldades, falta de peritos e tenho recebido várias reivindicações, por isso, agora, conseguimos, nesse projeto piloto que vai ser implantado em breve, de tele perícia, incluir as unidades de Dois Vizinhos, Realeza, Francisco Beltrão e Pato Branco. Isso vai facilitar muito o deslocamento, a locomoção, diminuir gastos para que as pessoas possam estar presencialmente perante o perito, perante o médico. É um grande feito do governo Bolsonaro (PL), implantado pelo Ônyx e, em breve, os municípios do Sudoeste estarão inseridos nesse programa, um grande feito para as pessoas que precisam da perícia e tem dificuldades em tê-la. Nosso trabalho é forte nos ministérios e as coisas começam a acontecer”, disse Vermelho. O deputado, no entanto, não estabeleceu um prazo para o início desses atendimentos.

A Rádio Educadora tem noticiado alguns casos de duovizinhenses que se deslocam para cidades vizinhas, com perícias agendadas, mas não recebem atendimento. Foi o caso de Zenilda Jazinski, que já foi duas vezes para Francisco Beltrão e deu com a ‘cara na porta’. Antes de pegar a estrada, ela tentou ligar para confirmar o atendimento também sem sucesso. Nas redes sociais, outros ouvintes se manifestaram. “Muito triste isso. Eu também já foi a terceira vez que vou na perícia e não me atendem. Cada vez mais complicado”, disse Josiane Pacífico Apolinário. Sônia Luchtemberg disse que já teve a perícia adiada cinco vezes. Franciele Otelakoski destacou que seu esposo foi duas vezes para Pato Branco e também perdeu a viagem. “Até no dia da perícia ele entrava no aplicativo para verificar se não tinham remarcado e nada. Sacanagem isso. Agora remarcaram para agosto. Se vai ser atendido, não sei. Não vai tirar nem para o combustível que está gastando de ir até lá”, conclui.

Fonte: Portal Educadora

Últimas Notícias